Vote Com a Consciência em Deus

“Daniel […], três vezes por dia, se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como costumava fazer” (Dn. 6:10)

Nos últimos dias, cerca de cinco a cada dez publicações na minha timeline são sobre política… E pode confiar em mim, tem de tudo: memes com todos os presidenciáveis; artigos sérios ou não sobre candidatos; algumas críticas aos que pesam diferente, com umas até bem fundamentadas, já outras… enfim, tem de tudo para agradar a todos os gostos!

Porém, o mais “interessante” é ver como as pessoas tem lidado com essas publicações: a maior parte dos amigos que tenho se denominam como cristãos, pessoas que deveriam adotar o evangelho como regra de fé e pratica não apenas para o seu culto dominical, mas para todas as áreas de sua vida.

Contudo, não é exatamente isso que vem ocorrendo: a realidade tem sido intolerância e difamação aos que pensam contrário. Se o outro prefere candidato “A” ou “B” para mim é impossível aceitá-lo. É como se, o não pensar a política como eu, o desqualificasse em todas as áreas de sua existência, chegando-se ao absurdo da escolha de determinado candidato o fazer “menos cristão”.

Agora me diga: com base em que se afirma isso?  Há realmente algum candidato que expressa a verdade do evangelho em sua plenitude? Pode-se até ver alguns mais alinhados, em algum momento, com princípios cristãos. Mas podemos ter certeza que, em algum outro ponto, ele se afastará da verdade do evangelho… são homens, falhos e imperfeitos assim como eu e você, e por isso carecem da graça de Deus (Rm 3:23). Por isso, como Daniel no texto colocado lá no início, saiba que não é defender “A” ou “B” que trará a solução política que o nosso país precisa. É entender quem governa e domina sobre tudo e todos que trará uma real mudança. Em situações de conflitos ou desafios, o principal não deveria ser atacar ou difamar, e sim nos voltarmos para o nosso Criador!

Com isso não quero dizer que nós não devemos pensar política, muito pelo contrário: quando entendermos esta realidade, passamos a compreender qual é a nossa função como cidadãos. Não devemos votar em alguém simplesmente porque ele se diz “da igreja”, por ter “a missão de Deus” para governar ou fundamentado em um radicalismo. Devemos faze-lo por ver quais são as propostas mais coerentes, praticáveis e que realmente trarão solução ao nosso país; é por ver que o candidato terá condições de colocar em prática aquilo que almeja, por ter condições de governabilidade (jamais esqueça: um presidente não governa sozinho em nosso sistema, ele é dependente da câmara e do senado!).

E entendam: se o seu amigo/irmão pensa diferente de você, isso não o desqualifica ou o faz menos. Ele apenas não vê em seu candidato aquilo que o habilita como possível próximo presidente/governador/senador/deputado. E não são necessários ataques: uma conversa civilizada, bem argumentada e respeitosa já resolve a questão, e eu garanto que será muito mais frutífera. E acima de tudo isso, sempre nos lembremos: a solução para o nosso país não está nos próximos eleitos, e sim no Senhor. Homem nenhum tem poder de trazer a real mudança que o mundo necessita; Cristo é aquele que realmente pode trazer solução ao maior problema da humanidade (Jo 1:29)! Todos os outros são apenas paliativos, e não soluções definitivas.

Por isso, se você é cristão e está engajando com política nestes últimos dias, te desafio a refletir em como deve ser o seu proceder:

1º Assim como Daniel, ore ao Senhor e peça sabedoria para fazer a sua escolha, e também descanse na soberania e governo de Deus.

2º Pense, leia, pesquise… Não escolha seu candidato sem antes fazer uma profunda reflexão dos prós e contras, e de quão praticáveis são algumas de suas propostas. Não tome a sua decisão de modo precipitado e sem reais argumentos do porque alguém é digno do seu voto.

3º Saiba respeitar ao próximo. Como bem afirma a escritura, “Não […] guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Lv 19:18). O fato de alguém não querer votar no mesmo candidato que você não deve torna-lo alvo de sua ira!

4º A solução não está em políticos, empresas, sistemas financeiros ou qualquer outra coisa do gênero. A redenção está apenas em Cristo; “se meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra” (2Cr 7.14).

Vote consciente e saiba que apenas Cristo governa sobre tudo e sobre todos!

Guilherme Graciano

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!