Um Breve Diálogo Sobre a Predestinação x Livre-Arbítrio

‘’ Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo, assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele e em amor nos predestinou para ele, para adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor da glória de sua graça, que ele nos concedeu gratuitamente no Amado, no qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça, que Deus derramou abundantemente sobre nós em toda a sabedoria e prudência, desvendando-nos o mistério da sua vontade, segundo o beneplácito que propusera em Cristo, de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as coisas conforme o conselho da sua vontade, a fim de sermos para louvor da sua glória, nós, os que de antemão esperamos em Cristo; em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa; o qual é o penhor da nossa herança, até ao resgate da sua propriedade, em louvor da sua glória.’’ (Efésios 1:3-11)

Com este artigo, viso abordar algumas considerações soteriológicas. De antemão, em humildade, faço uma ressalva de que nós, membros do Reformai, partimos de um local discursivo específico no que diz respeito à salvação, pautados biblicamente em uma perspectiva monergista, ligados intrinsecamente ao posicionamento histórico reformado, tendo como base as Doutrinas da Graça. Caso pense de modo distinto, lembre-se disso.

A passagem acima nos apresenta as bênçãos que temos de Deus como Autor da nossa redenção. Eu poderia citar um ou dois versículos para a abordagem, entretanto, a passagem acima descreve um discurso consecutivo, pausado apenas por vírgulas e ponto e vírgulas, o ponto final só aparece após 11 versículos. O apóstolo Paulo trata nestes versículos da eleição em Cristo, ou seja, Deus elegeu e predestinou os Seus filhos antes da fundação do mundo.

A predestinação se revela de modo específico no livro de Romanos 9:6-29, em Efésios 1:3-14, João 15:16 e em outros versículos. É inegável a significação de ‘’predestinou’’, Deus determinou de modo prévio aqueles que Ele iria salvar, o Seu povo. Se observarmos desde Gênesis, veremos que Deus cercava, protegia e cuidava dos Seus. Ele poderia ter destruído a humanidade por conta do pecado, mas nos deu a maior prova de amor na cruz. Tudo isso estava determinado em Seus decretos, Ele escolheu nos salvar!

‘’Não fostes vós que escolhestes a mim, pelo contrário, eu vos escolhi a vós para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedires ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.’’ (João 15:16)

E quanto ao livre-arbítrio? Os que professam o livre-arbítrio pra salvação tentam fazer um somatório com alguns versículos, de modo que pareça que o homem teve poder para colocar a si mesmo no céu. Se o homem pudesse fazer isso, não haveria então a necessidade de um sacrifício na cruz, mas, esse sacrifício foi necessário justamente porque estávamos mortos em nossos pecados, inimigos de Deus que precisaram ser reconciliados (Romanos 5:10). Alguns defendem piamente o livre-arbítrio por acreditarem que a predestinação não é algo bíblico, por crer que ela induz as pessoas a serem relaxadas espiritualmente já que se consideram predestinadas, e por acreditarem erroneamente que já que Deus predestinou tudo o evangelismo não seria necessário, e também por encararem que nessa perspectiva Deus trataria os humanos como seres mecânicos. Essas coisas não têm apoio biblicamente!

Algumas considerações:

1ª Deus escolheu nos amar primeiro, nos só O amamos porque Ele fez isso primeiro (1 João 4:19), e o convencimento do pecado, da justiça e do juízo é obra do Espírito Santo (João 16:8-11).

2ª A predestinação não traz um marasmo espiritual, pelo contrário, ela faz com que encaremos o quão miseráveis somos, ela derruba o nosso orgulho, e nos mostra o quanto Deus fez para nos salvar; é um exercício árduo de humildade.

3ª A pregação e o evangelismo são decretos de Deus, e felizes são os que participam dessa grande comitiva aqui na Terra! São filhos que entendem que a obra do Senhor é importante, e pregam, sabendo, porém que Deus é quem acrescenta os que irão ser salvos:

‘’Diariamente perseveravam unânimes no templo, partindo pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.’’ (Atos 2:46-47)

4ª Nós temos vontades, anseios, emoções, escolhas e agimos de modo orgânico no dia-a-dia, mas no que diz respeito à salvação, saiba que sempre Deus irá te convencer de algum erro, Ele irá atrai-lo para Si, e cercará os teus caminhos de modo que você não se perca. Isso é uma grande prova de amor! Lembre-se da conversão de Paulo (Atos 9), onde ele, obstinado em sua religiosidade, foi atraído pelo próprio Cristo à mudança, por meio de Sua graça; Paulo pôde resistir? De modo algum!

Mas, e no que diz respeito às obras, já que cada um dará conta de si? Pois bem, a salvação não é por obras!

‘’ Porque pela graça sois salvos, mediante a fé, e isso não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.’’ (Efésios 2:8-10)

As obras não justificam a nossa salvação, as boas obras são resultantes da salvação que temos em Cristo; fomos criados para as boas obras como o texto demonstra. Se apenas as obras justificassem o homem, Cristo não teria dito que algumas pessoas que profetizaram, expulsaram demônios e fizeram milagres ficariam fora do reino dos céus (Mateus 7:22-23). Se a salvação fosse pelo estado natural do homem, nenhum de nós iria até Cristo, nenhum de nós iria adquirir a vida eterna, pois a nossa velha natureza segue o livre curso deste mundo; essa natureza faz com que nos inclinemos à carne. Todo ser humano está morto em seus delitos e pecados, sendo filhos da ira de Deus, até receber a vida em Cristo (Efésios 2:1-7). Se a salvação pudesse ser perdida, perderíamos ela e assim que pedíssemos perdão adquiríamos novamente? Não há sentido algum, pois não vem de você, não vem de mim, vem de Cristo, e outra: o livro da vida não é brincadeira para que alguém tenha o nome escrito e apagado toda hora! Não estou te endossando a pecar, pelo contrário, estou lhe dizendo que se Cristo não tivesse salvado Seu povo, eles teriam perdido essa salvação na primeira oportunidade para pecar. A responsabilidade humana existe e ela deve estar sujeita à soberania de Deus.

Não sinta revolta por saber que Deus escolhe o Seu povo, sinta-se alegre e agradecido por Deus em Sua misericórdia dar esse presente:

‘’Que diremos, pois? Há injustiça da parte de Deus? De modo nenhum! Pois ele diz a Moisés: Terei misericórdia de quem me aprouver ter misericórdia e compadecer-me-ei de quem me aprouver ter compaixão. Assim, pois, não depende de quem quer ou de quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia. (Romanos 9:14-16)

Temos algum motivo para nos queixar da soberania de Deus? De modo algum!

‘’Tu, porém, me dirás: De que se queixa ele ainda? Pois quem jamais resistiu à Sua vontade? Quem és tu, ó homem, para discutires com Deus?! Porventura, pode o objeto perguntar a quem o fez: Porque me fizeste assim? Ou não tem o oleiro direito sobre a massa, para do mesmo barro fazer um vaso para honra e outro, para desonra? Que diremos, pois se Deus, querendo mostrar a sua ira e dar conhecer o seu poder, suportou com muita longanimidade os vasos da ira, preparados para a perdição, a fim de que também desse a conhecer as riquezas da sua glória em vasos de misericórdia, que para glória preparou de antemão, os quais somos nós, a quem chamou, não só dentre os gentios? (Romanos 9:19-24)

Ao pensar na vida nesse aspecto amplo, encare o seguinte: temos várias rotas, mas é Deus que nos conduz a chegar ao destino final que nos levará ao céu. Os que perseverarem até o fim serão salvos, e os que perseverarem até o fim só conseguirão fazê-lo por causa da ajuda de Deus. Deus é Soberano!

‘’ As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão.’’ (João 10:28)

Há cinco textos que podem explanar a compreensão desse tema:

1- Nomes Riscados do Livro da Vida 
2- O que é Justificação?
3- Calvinismo e Missões
4- No Jardim da Reforma
5- Será Que Sou Salvo?

Em Cristo, Lariane.

Via: REFORMAI

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!