Saia do Meio dos Porcos

Todo recomeço é difícil, se devemos recomeçar é lógico que falhamos ou desistimos de algo ou alguém. Recomeçar implica o desejo de reiniciar; tornar a começar.

Nunca recomeçamos aquilo que já foi terminado ou o que está indo na direção correta, por isso o desejo de recomeçar só vem quando reconhecemos a grande necessidade que temos em fazê-lo. É construir aquilo que foi destruído, escrever aquilo que foi apagado é voltar ao início quando tudo deu errado. Tudo na vida se resume no resultado final, porque ele determina quem você foi durante seu trajeto (Ec 1.8).

Uma das parábolas mais conhecidas de Jesus nos fala a respeito de um jovem sem nome, que o título o identifica como o filho pródigo ou o filho esbanjador. Embora o título do texto destaca somente o filho jovem, nos esquecemos que existem mais dois personagens que nos trazem ensinamentos maravilhosos. O pai, que sempre está à espera do filho. E o filho mais velho que acha que merece alguma coisa por tanto trabalhar.

Porém sem o Pai, nada seria realizado, ele é o foco central da história. Quero falar um pouco do filho mais jovem. Ele chega até ao pai e pede a parte da herança, mesmo sem direito a sua parte o pai o entrega aquilo que foi pedido. Depois de passar alguns dias, ele resolve ir embora. Ajuntando tudo, parte para um terra longe, onde gasta e esbanja sua riqueza. Tendo chegado naquela terra grande fome, o jovem sem nada começa a padecer necessidades e é obrigado a apascentar porcos. Mas durante esse trabalho seu coração lembra-se da comida, então ele resolve voltar, resolve recomeçar. Mesmo com o interesse no pão, ele sabe que nunca poderia ter abandonado seu pai.

Sua fome, só reflete o vazio que se encontra em sua alma. As lembranças como fantasmas, teimam em atormentar sua mente. Para ser perdoado, é preciso querer o perdão, para ser amado é preciso querer o amor e para ser acolhido é preciso buscar o retorno para a vida que ele nunca deveria ter saído. Os momentos de êxtase e euforia, não conseguiram alimentá-lo, e quando a fome voltou, o único que tinha o pão era seu Pai.

E Ele sempre tem o que necessitamos, talvez eu realmente não queira o que Ele tem, é por isso que sempre vagamos pelos caminhos tortuosos que sempre nos levam para longe. Para recomeçar é preciso voltar pelo mesmo caminho que o levara a viver afastado do pai, agora ele deve passar pelos mesmo lugares, estradas e cidades que outrora pareciam tão deslumbrantes e cheia de vida, agora não passa de testemunhas de seu orgulho e de suas falhas. Não é fácil caminhar de volta e encarar todas as suas frustrações.

O recomeço nos transforma em pessoas mais humildes e dependentes, engolimos o orgulho e damos a meia volta batalhando com os nossos próprios pensamentos e formulando respostas e desculpas para o bondoso pai. Não tinha desculpas, não havia onde se esconder. Era preciso reconhecer o quão inconsequente eu fui, e admitir que a minha única esperança é ser aceito pelo pai.

A palavra que encaixa no recomeço, sem dúvidas é o arrependimento. Sem ele não é possível fazer o caminho de volta, sem o arrependimento genuíno ficaríamos estagnados no mesmo lugar, lamentando e procurando acusar alguma situação pelo erro cometido. Ás vezes gastamos muito tempo lamentando, murmurando com a condição que se encontra nossas vidas. Tempo esse que poderia ser usado caminhando de volta ao começo.

Se o meu presente está ruim, é por que as minhas escolhas não foram sensatas . Muitos não entendem e culpam a Deus e até o abandonam. Deus não tem culpa de nossos problemas. Agora se quero que meu futuro seja melhor, então tenho que viver o agora debaixo da sabedoria de Deus. Foi o que o filho fez, o único culpado da situação em que se encontrava era ele mesmo. Ele teve que tomar uma decisão; ou recomeçava ou continuava na mesma vida. O filho reflete muitas vezes a nós mesmos, quando somos imprudentes e abandonamos ao Pai.

Queremos viver as nossas próprias vontades e interesses e escolhemos nosso destino. Achamos que somos, que podemos fazer e realizar, nos vangloriamos. Mas esquecemos que isso nos leva para longe de Deus, longe de seus cuidados.

Quando nos assustamos estamos em meio a sujeira do pecado, fazendo coisas que antes tinhamos nojo. Minha única saída, ainda está lá no mesmo lugar onde deixei. Me esperando pronto para me receber, sem acusações, sem ressentimentos. Já não preciso de palavras pois suas ações só me deixa mais constrangido, descubro que não o conhecia porque recebo Dele amor e perdão, seu beijo e seu abraço fazem de mim tão pequeno e a única reação que tenho é me calar diante de tão grande misericórdia (2Co 5.14).

Deus muitas vezes irá permitir que caiamos em nossos orgulhos e pretensões, para nos ensinar a respeito da vida e moldar nosso caráter (Rm 8.28). Para recomeçar é preciso arrependimento, fome de pão(Jesus) e uma atitude que venha me levar ao caminho de volta ao encontro do Misericordioso Pai. Não sei onde você parou, desanimou, e nem o motivo que o levou a isso. Talvez tenha desistido do seu casamento, de seus familiares, da igreja e até mesmo de sua vida. Recomece, persevere em seu caminho, a melhor maneira de recomeçar é com Cristo.

Creia em seu evangelho, creia no seu perdão, assuma uma verdadeira vida ao lado Dele, porque a salvação será daqueles que sempre perseveraram, sempre recomeçaram tendo suas forças renovadas nos momentos de inconstâncias (Mt 24.13)(Jo 6.37).

Que Deus lhe dê entendimento!

Alisson Bruno

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!