Para Louvor da  Sua Glória

Paulo descreveu o Evangelho de uma forma muito profunda e grandiosa na carta aos Efésios.

O Apóstolo Paulo nesta carta nos diz três vezes, nestes catorze versículos, que o propósito de Deus em nossa salvação é que devemos ser para o louvor da Sua glória. Uma das razões pelas quais devemos desejar a sua glória está aqui:

Para louvor da glória de sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado” (Ef 1:6).

Nosso Pai celestial entrou em uma aliança com seu Filho antes da fundação do mundo para a salvação dos eleitos. Em Hebreus 13:20, o escritor chama essa verdade de o pacto eterno. Freqüentemente é chamado de a nova aliança. Esta aliança foi feita na eternidade, entre Deus o Pai e Deus o Filho; Ela foi feita por nós. No que diz respeito aos benefícios e bênçãos dela para nós, é uma aliança incondicional. O Senhor Deus disse: “Eu os amarei livremente, eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo”. Esta aliança de graça eterna é uma aliança segura, uma aliança infalível que Deus o Pai através de Cristo garantiu aos seus  eleitos todas as bênçãos da salvação e a vida eterna em Cristo (Jr 31:3,31-34;32:38-40;2 Sm 23:5).

A única condição para a aliança e as bênçãos da graça e salvação prometidas nela foi a obediência do Filho de Deus como nosso substituto até a morte (Hb 13:20). E nunca houve o perigo de que essa condição não fosse atendida pelo Filho de Deus! Nunca houve a menor possibilidade dele fracassar. Ele estava disposto a obedecer. Ele era capaz de obedecer.

E ele obedeceu à vontade de seu Pai até a morte, até o derramamento do seu sangue, o sangue da nova aliança eterna!

Tendo nos redimido na Pessoa de seu próprio Filho, nosso Pai celestial entregou seus escolhidos nas mãos Dele, como ovelhas nas mãos de um pastor, e confiou nele a salvação de nossas almas e a glória de Seu próprio grande nome (Jo 6:39). Se Deus Pai confiou sua glória a seu querido Filho como nosso substituto e Salvador e confiou a salvação de nossas almas em suas mãos, devemos confiar nele e em sua provisão. Se o Pai confiou nele, ele é um Salvador digno de confiança!

Com base nesta aliança, nosso Pai celestial nos aceitou em Cristo desde a eternidade (Ef 1: 4-6). Se você como cristão não entender o ensinamento bíblico sobre a nossa aceitação diante de Deus, talvez você não tenha nascido de novo. Nossa aceitação está em Cristo. Nossa aceitação é de eternidade a eternidade. Nossa aceitação é absoluta e incondicional. Nossa aceitação significa que Deus Pai, nosso Pai celestial, nos considera perfeitos em Cristo, e isso desde a eternidade. Ele declara: “Somos aceitos no Amado!” Sendo “aceitos no amado”, nosso Pai celestial nos abençoou com todas as bênçãos espirituais em Cristo desde a eternidade e prometeu nos abençoar para sempre por amor de Cristo (Ef 1:3;2 Tm 1:9).

O Senhor Deus ordenou a Arão, seu sumo sacerdote, que abençoasse o seu povo simbolicamente (Nm 6:23), por ter jurado desde a eternidade, por amor de Cristo, dizendo: “Eu os abençoarei” (Nm 6:27). Deus é maravilhoso!

Soli Deo Gloria

Fábio Falcão

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!