pregar

Venho sendo confrontada com esse versículo sempre que denuncio um “evangelho” que não condiz com as escrituras.

Já estamos fartos de saber o quanto pessoas ditas “de Deus”  tem se apropriado do nome de Jesus para lucrar, perverter os caminhos do Senhor, e sem nenhum tipo de escrúpulo ou filtro, o fazem de forma mascarada, se escondendo atrás de uma falsa interpretação da palavra de Deus.

Interpretam versículos isolados de seus contextos originais, e de forma que atendam suas necessidades mentirosas e mesquinhas.

Entendam bem que não tenho problema em ser confrontada ou criticada sobre os relatos que escrevo. No entanto esse versículo é utilizado de uma forma totalmente errônea, longe do que ele realmente quer dizer.

Compreendo que a leitura dele pode causar certas dúvidas se não lermos o contexto. Porém, como cristãos maduros, devemos ser responsáveis por estudar a Palavra. E não faz mal estudar um pouquinho para aprender “né”. (Mt 22:19 Errais não conhecendo as escrituras nem o poder de Deus.)

Lemos o versículo:

“E dai? O que importa é que, de todas as maneiras, seja de forma honesta, seja de forma falsa, o Messias está sendo anunciado; e nisso me alegro.”  Filipenses 1.18

Paulo fala que as pessoas, naquela ocasião citada no texto bíblico,  pregavam com a motivação errada, e não a mensagem errada. Perceba que são coisas distintas: a observação de Paulo é feita em relação a motivação, mas ele não contesta a mensagem. Em nenhum momento Paulo disse que ficou alegre pelo fato de pregarem heresias.

Ele se alegrava por ver Cristo sendo anunciado mesmo que a intenção não fosse essa. (Como em alguns casos de hoje que pregam a mensagem errada até com uma aparência supostamente correta).

O versículo 14 de Filipenses 1, mostra que Paulo se encontrava preso, impossibilitado de pregar o evangelho. Tal prisão provocou nos outros irmãos uma ousadia maior em anunciar as boas novas.

No verso 15, relata a veracidade de alguns serem honestos e anunciarem por amor, enquanto alguns por ambição.

Esse versículo 17 dá a motivação dos que anunciavam por inveja “… Afim de causar sofrimento em minha prisão” era como se alguém o olhasse preso e afim de incrimina-lo mais ainda, falava como que essas palavras:

“Veja este homem preso, ele anuncia que um homem chamado Jesus nasceu, que esse Jesus foi o Messias, filho de Deus. Fez milagres, anunciou o reino do Pai, dando fim a seu ministério, morreu numa cruz pela remissão dos nossos pecados, agora está assentado a direita do Deus pai, voltará e levará para junto de sí todos que guardar seus mandamentos com perseverança e todo aquele que crê nisso terá vida eterna.”

Com a intenção de trazer sofrimento, pois tais afirmações poderia manter Paulo preso e sujeito a agreções no cárcere, sendo que não acreditavam que Paulo falava a verdade. Então Paulo se alegrava que mesmo com motivos impuros, o Evangelho estava sendo anunciado.

Em momento algum Paulo defenderia quem anunciasse um falso evangelho. Leia Gálatas 1:8:

“Contudo, ainda que nós ou mesmo um anjo dos céus vos anuncie um evangelho diferente do que já vos pregamos, seja considerado maldito!”

Portanto, é no mínimo uma desonestidade intelectual, usar o versículo de Filipenses para defender os que pregam heresias e falam mentiras usando o nome de Cristo. É desonesto e irresponsável quem distorce esse versículo e o uso para fechar os olhos aos absurdos que ouvimos por aí.

Se de fato Paulo não se importasse com a mensagem, ele não teria dito o que está na epístola direcionada aos irmãos da Igreja em Corinto “ E até importa que haja entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem entre vós. (1 Coríntios 11:19).

Bia Machienzle

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!