Lute Pela Verdade

Quando observamos a Palavra de Deus, temos a certeza de que existem inúmeros versículos que podem nos ajudar a entender este tema, esta necessidade, de lutar pela verdade.

Mais abaixo, no decorrer deste texto, pretendo citar uma passagem do livro de 2 Samuel, que cita os “valentes de Davi”. Porém, agora, gostaria de comentar um pouco sobre o que é esta verdade defendida pelos cristãos.

Infelizmente vivemos em um mundo de relativismos, onde tudo é relativo, nada pode ser considerado absoluto, “100% certo”. Os princípios são negociados, os valores são trocados e aquilo que era errado torna-se correto. Basta olharmos para nossa sociedade atual e a compararmos com a de 30 anos atrás. Não se comentava abertamente sobre a descriminalização do aborto, por exemplo. Nesta época o próprio adultério era considerado como crime (antigo art. 240 do Código Penal, revogado em 2005). Assim, vemos que, mais uma vez, aquela velha doutrina da “Depravação Total” é ainda mais real no homem que não teme ao Senhor. Sim, o homem sem Deus é mau.

Entretanto, querido leitor, você pode estar se perguntando “o que isso tudo tem a ver com o título do texto?”. A resposta é simples: somos chamados para defender alguns valores absolutos, imutáveis. Estes princípios nós encontramos em um lugar: na Palavra de Deus, que é a Verdade. Entenda: ainda que o ser humano mude e não considere errado aquilo que na bíblia é exposto como pecado, se Deus abomina, deve ser abominável aos nossos olhos também.

Como eu já disse, o mundo mudou. As coisas mudaram, os tempos passaram. Vemos realmente que a Palavra de Deus tem deixado de ser o padrão da sociedade, como era no passado. Infelizmente existem homens e mulheres que, disfarçados de cristãos, tentam crentes sinceros para que cometam pecados horríveis, como nós vemos no capítulo 3 da segunda carta de Paulo a Timóteo. Estas pessoas vão, sorrateiramente, lançando sementes de mentira no coração de nossos irmãos, fazendo com que cada um acredite em sua “própria interpretação da Palavra”. Com isso, um mundo de falsidade é criado, infelizmente, mesmo dentro de nossas igrejas. Frases como “não julgueis” ou, até mesmo, “só Deus pode me julgar” vão se repetindo como um mantra.

Entretanto, mais uma vez, repito: fomos chamados para fazermos a diferença. Fomos chamados para lutar pela Verdade do Evangelho.

Então, ao olhar para a passagem que citei, logo no começo do texto, desejo fazer algumas conclusões.

“E depois dele Samá, filho de Agé, o hararita, quando os filisteus se ajuntaram numa multidão, onde havia um pedaço de terra cheio de lentilhas, e o povo fugira de diante dos filisteus. Este, pois, se pôs no meio daquele pedaço de terra, e o defendeu, e feriu os filisteus; e o Senhor efetuou um grande livramento”. 2 Sm 23.11-12

A Palavra nos conta que Samá, um dos valentes de Davi, enquanto via seus irmãos israelitas se acovardarem e fugirem diante dos filisteus, ficou em Leí e lutou para defender sua terra e alimento. Uso estes versículos acima para fazer uma comparação: o “pedaço de terra cheio de lentilhas”, que era o alimento à época, com a Verdade, o Evangelho, a Palavra de Deus, nos nossos dias, que alimenta nossas almas.

Quando vemos as verdades do Evangelho sendo bombardeadas pelas falsas doutrinas, pelo ensino de demônios e por práticas antibíblicas, é nosso dever “ficar e lutar”. Devemos preservar aquilo que nos foi confiado por Deus, a forma mais íntima e pura como Ele se mostra aos Seus, que chamamos de “revelação especial”. Os ensinamentos bíblicos são eternos e imutáveis! É exatamente isso que Paulo deixa claro ao escrever:

“Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.” 2 Tm 3.16-17

Toda a Escritura é inspirada por Deus. Isso quer dizer que tudo o que está escrito, todas as passagens, ordens, mandamentos e princípios demonstrados na Palavra são inspirados pelo próprio Criador, que é o padrão mais elevado de Santidade e Justiça.

John Piper, em seu livro que tem por título “Lutando pela Verdade”, publicado pela Editora Tempo de Colheita, nos narra a história de como Atanásio, bispo de Alexandria, defendeu a doutrina bíblica da divindade de Cristo, lutando contra seu rival chamado Ário, que alegava ser Cristo apenas uma criação de Deus Pai, e não o próprio Deus. Quando a doutrina da Trindade foi atacada, um homem ousou levantar-se e defender o que era – e ainda é – certo e absoluto.

Amado leitor, meu desejo neste texto é de lhe encorajar a lutar pela Verdade. Ser cristão é tomar partido e dizer “eu lutarei pelo Evangelho, custe o que custar!”. Tudo o que a Palavra afirma ser pecado será considerado assim, aos olhos de Deus, para sempre. Da mesma forma, o que a Palavra enfatiza ser correto e justo, o será para sempre também, já que o padrão moral de tudo é Deus, e no Senhor não há sombra, nem variação (Tiago 1.17).

Lute pela Verdade!

Lute pelo Evangelho!

Não se dobre ao sistema mundano!

Sob a Graça,

Daniel Rodrigues Kinchescki.

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!