Agindo como meninas_ Porque o feminismo insulta as mulheres reais

O movimento feminista realizou muito em nosso país. Além da carnificina do aborto, suspeito que a realização mais lamentável é que destruiu a ideia de alcançar a excelência como mulher.

Isso pode parecer contra intuitivo. Afinal de contas, as feministas não estão lutando para que nós, mulheres, possamos ter um mundo inteiro de oportunidades se abrindo diante de nós – para que possamos ser capazes de voar, perseguir nossos sonhos, alcançar e superar? Bem, na verdade, não.

Se você perguntar às pessoas comuns sobre o que é a causa feminista, elas dirão que as mulheres são iguais aos homens – para garantir que não sejamos tratados como cidadãos inferiores de segunda classe. E, claro, se você coloca dessa forma, que pessoa sã iria discordar, certo? Mas, na verdade, há alguns trabalhos sorrateiros, nos bastidores, como velhos truques de mágica, quando a posição feminista é resumida dessa maneira.

O fruto da igualdade feminina

A ideia de que as mulheres são iguais aos homens não é uma ideia feminista; é uma ideia cristã. O apóstolo Paulo disse isso muito antes de Elizabeth Cady Stanton ou Gloria Steinem quando ele nos ensinou que em Cristo não há nem judeu nem grego, escravo nem livre, nem homem nem mulher (Gálatas 3:28). E ele disse há quase dois milênios antes que as pessoas dos direitos das mulheres aparecessem.

As feministas tentam levar o crédito por algo que é o fruto do evangelho, abrindo caminho para a cultura como o fermento através de um pão. Precisamos parar de deixar as feministas agirem como se de alguma forma conseguissem nossa igualdade. A sociedades não convertida não tratam bem as mulheres, e isso é extraordinariamente fácil de documentar. Mulheres sendo tratadas com respeito são frutos que crescem em um tipo de árvore, e essa árvore é uma cruz.

É claro que nós, cristãos, acreditamos que as mulheres são iguais aos homens. Essa crença não é apenas um compromisso com as feministas, ou algo que aprendemos com as feministas, é na verdade uma das nossas características. Temos textos bíblicos para essa convicção e sempre tivemos.

 

O que é igualdade?

Então, o que há de errado com o feminismo? Honestamente, muito disso se resume a uma luta por definições. O que “igual” realmente significa? Isso significa “o mesmo”? Um cristão acredita que as mulheres são diferentes dos homens – com diferentes forças, diferentes habilidades e diferentes tarefas. Não acreditamos que essa diferença implique desigualdade. Uma feminista, por outro lado, acredita que a verdadeira igualdade não pode ser alcançada sem a mesmice.

Mas um rolo de massa é diferente de um copo de medição, e podemos reconhecer sem dizer que um é melhor que o outro. E que coisa estranha seria se o fizéssemos! Imagine mostrar a alguém suas ferramentas de cozinha e elas se indignarem e acusá-la de acreditar que o copo medidor era melhor do que o rolo. Melhor em que? Se você quiser medir um pouco de farinha, terá dificuldades com um rolo de massa e terá problemas semelhantes ao tentar criar uma massa de torta com um copo de medição. Um rolo deve ser avaliado de acordo com os padrões do que faz um bom rolo, e os copos de medição devem ser julgados em seus próprios termos. (Tome nota, se você se assustar com a analogia que estou fazendo, então isso mostra que você está fazendo exatamente o que eu estou falando.)

Potencial das mulheres para a excelência

Acreditamos que as mulheres são diferentes dos homens e, portanto, temos que ser mantidas de acordo com os padrões do que faz uma excelente mulher, julgada em nossos próprios termos. Uma mulher admirável e de alto desempenho parece diferente de um homem admirável e de alto desempenho, e ela realizará coisas diferentes.

Isso é realmente o cerne do nosso desacordo com as feministas. Elas querem que os padrões, categorias e julgamentos sejam exatamente os mesmos para homens e mulheres. Aqui está a jogada: os padrões que elas querem aplicar a todos são aqueles que sempre foram aplicados aos homens. “Quebrar o teto de vidro” é uma abreviação para a insistência de que os padrões masculinos de conquista agora sejam impostos às mulheres.

Longe de libertar as mulheres, as feministas realmente removeram nosso potencial para a verdadeira excelência.

agindo como meninas

Uma mulher que alcança excelência da verdadeira feminilidade é considerada por nossa sociedade como retrógada. E as poucas mulheres que conseguem alcançar o sucesso no mundo masculino recebem um tapinha nas costas e uma medalha de participante. É horrivelmente paternalista.

Pense na maneira como nossa sociedade aplaude as mulheres que chegam ao Navy Seals (a sigla da unidade é derivada de sua capacidade em operar no mar (SEa), no ar (Air) e em terra (Land), comumente abreviado como Navy SEALs, são uma das principal Força de Operações Especiais da Marinha dos Estados Unidos), ou qualquer coisa parecida com isso. É honestamente a mesma reação de quando o garoto realmente muito lento finalmente cruza a linha de chegada da corrida, doze minutos atrás de todo mundo. Nós mulheres precisamos deixar de ser tão facilmente lisonjeadas por esse tipo de admiração. Se você prestar atenção em tudo, você percebe que não é realmente um elogio.

Nós cristãos, particularmente as mulheres cristãs, precisamos lutar mais para recuperar a ideia de excelência da verdadeira feminilidade. Muitas vezes, em nome do conservadorismo, nós compramos o estereótipo e abraçamos a pessoa “indefesa, macia e pequena”, pensando que é o que parece ser feminino. Mas precisamos estudar nossas Bíblias e aprender a encarnar a virtude como mulheres, obedecer como mulheres, ter ambição como mulheres, sabedoria como mulheres, coragem como mulheres, fidelidade como mulheres e força como mulheres.

Traduzido e adaptado por Camila Plens

Texto original: Throw Like a Girl, Why Feminism Insults Real Women

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!