Filhos... Filhos_ Melhor tê-los!

Trago a memória um conhecido poema do reverenciado Vinícius de Morais que inicia-se com a seguinte indagação:

Filhos . . . Filhos?
Melhor não tê-los!

A obra continua abordando uma realidade bem pouco romantizada através de um roteiro de certa forma pesado sobre a decisão de ter filhos e as suas consequências. Apesar de concordar com parte de suas palavras, gostaria de refletir sobre sua primeira afirmação:

Melhor não tê-los!

São inúmeras as discussões levantadas quanto se trata de nascimento e criação de filhos. E mais ainda, muitos são os que defendem com uma naturalidade aterrorizante a morte de inocentes ainda no ventre de suas mães sob argumentos injustificáveis. De fato, futuros pais e mães anseiam por se livrar de fetos indesejados por considerarem não estarem no momento certo para cuidar de filhos, seja por sua mocidade pulgente, condições financeiras desfavoráveis, relacionamentos desfeitos…

Sabe-se que no meio cristão a prática do aborto não é aceita (pelo menos não deveria) por ser condenada por Deus através de um mandamento – Não matarás (Ex. 20:13). Entretanto uma rápida observação as famílias cristãs atuais no permite notar que estas têm se tornado menores e que os filhos demoram cada vez mais a surgirem para constituí-las. Mas isto deve ser considerado normal em nosso meio?

A Bíblia considera os filhos como bençãos dadas por Deus!

O Salmo 127 trata lindamente deste assunto. O versículo 3 é bastante conhecido – “Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre, o seu galardão”. Este verso trata a descendência como uma recompensa dada por Deus ao seu povo. O Salmo segue comparando filhos à flechas na mão do valente, que bem-aventurado é o homem que os tem em abundância e o quão respeitado é aquele que os possui. Infelizmente entre os cristãos atuais uma família numerosa não é mais tão bem vista. O que faz a Igreja se abster desta benção nos dias atuais? As justificativas são pautadas sobretudo em condições econômicas desfavoráveis e na época atual considerada de abundante iniquidade. De fato vivemos tempos trabalhosos, mas criar filhos nunca foi e nunca será fácil para aqueles que recebem esta missão de forma responsável.

Por que os cristãos devem ter filhos ou muitos filhos?

Mais filhos – mais Igreja!

A promessa do Senhor a Abraão foi dar-lhe um filho e deste uma numerosa descendência. ( Gn.15:5) Uma nação forte e poderosa para enfrentar inimigos e defender os interesses de seu Deus deveria ser grandiosa. Não pensamos nisto quando nos abstemos de filhos. Uma igreja numerosa e que guarda com zelo a sã doutrina de fato é uma igreja forte para defender sua fé perante uma sociedade que luta de forma constante para aboliar de sua base os princípios judaico-cristãos. Teremos mais sal e luz no mundo!

Filhos – nossos substitutos na Igreja!

Nossa passagem é breve neste mundo e por mais que nosso sentimento seja que as últimas coisas se aproximam, devemos nos preocupar em deixar descendentes aptos à seguir erguendo a bandeira do Evangelho. Mais filhos hoje criará uma maior igreja manhã e mais pessoas aptas a pelejar na obra de Deus.

Somos covardes!

Se as escrituras nos encorajam a formarmos grandes famílias e se filhos são os perpetuadores de nossa fé, a única explicação encontrada para o cenário atual é que SOMOS COVARDES E UM TANTO DESOBEDIENTES!

Nos acovardamos frente à complexidade das questões contemporâneas. Isso evidencia a incerteza naquilo que professamos. Se temos convicção do que cremos, trazemos à mente que todos os nossos esforços para ensinar o Caminho aos filhos será realizado mediante supervisão e auxílio do Espírito Santo e que eles seguirão firmes como escrito em Provérbio 22:6 – “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele.”

Nossa desobediência é exposta quando o sofrimento pela incerteza do futuro, quanto a provisão para sustento e conforto de nossos herdeiros se sobressai e as palavras de Jesus parecem não tratar de nosso lar – Mateus 6:25:Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário? – versículo 33: Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.”

Se de fato cremos em Deus, seguimos seus ensinamentos e confiamos em sua providência, soa no mínimo contraditório nos abstermos de uma de suas lindas promessas! Filhos…Filhos? Melhor tê-los.

Jaqueline Oliveira

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!