Filhos Cristãos, Pais Impiedosos

A Igreja Contemporânea tem enfrentado diversas situações, que trazem a nós um cuidado muito grande ao ler a Palavra de Deus, no intuito de oferecer resoluções que sejam coerentes com o Evangelho.

No ambiente familiar, a Bíblia nos instrui acerca dos papéis que cada um deve exercer dentro deste contexto.

É explicitamente claro, qual o papel do pai, da mãe, dos filhos e dos irmãos, bem como as responsabilidades de cada um.

Porém, em dias de facilidade de acesso à informação, e com a intensidade das discussões teológicas, muitas margens de interpretações surgem, e infelizmente, colaboram com desvios de conduta de todos os membros de uma família.

Hoje tentaremos responder algumas perguntas: como um jovem cristão deve se portar em relação aos pais impiedosos, ou ainda, um jovem cristão que conheceu a Doutrina Reformada deve se portar em relação aos pais, que são pentecostais? Como se portar quando os pais não apoiam uma mudança de igreja, ou não apoiam o jovem a ir à Igreja?

Vejamos o que a Palavra de Deus nos diz acerca dos comportamentos dos filhos:

“Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; Para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra. E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.” (Efésios 6:1-4)

É justo honrar os pais. Não há nada o que discutir sobre isso. O grande problema é que muitos pais entendem que só serão honrados se forem obedecidos cegamente, ainda que o que eles mandem seja algo que desonrem ao Senhor.

Isso significa que o jovem pode desobedecer os pais sempre que entender que pode? Evidentemente que não!

Aqui encontramos um ponto de difícil compreensão: qual o limite de obediência de um jovem cristão aos seus pais?

“Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens” (Atos 5:29).

Quando lemos o contexto de Atos 5, bem sabemos que a recusa da obediência dos Apóstolos em relação às ordens de homens estava diretamente relacionado ao avanço da pregação do Evangelho.

Entendo que a única exceção é essa: não desonrar ao Senhor! Obedecer um pai ímpio com a prática da desonra ao Senhor não tem o menor sentido.

Sim, é verdade que pais ditos “cristãos” cometem excessos no exercício da paternidade. Há casos verídicos e terríveis de obsessão, manipulação e etc.

Porém, cabe ao jovem cristão analisar as situações, cada uma de acordo com a sua realidade.

De forma prática, pretendo sugerir as atitudes para cada caso mencionado, lembrando que não conseguirei esgotar todas as possibilidades que podem acontecer nestas relações, mas creio que podemos encontrar um norte a partir do que leio de todo o contexto do Evangelho:

  • Como um jovem cristão deve se portar em relação a pais impiedosos? Com respeito, mansidão e discernimento. Se você perceber que ir ao culto irá deixar seus pais furiosos, não vá. Esteja em casa com eles. Demonstre que o ensinamento que você tem aprendido na Igreja fortalece o seu entendimento de papel de filho, que é respeitar os seus pais. Evite o atrito quando seus pais não entenderem suas razões. Exerça a misericórdia para com eles, para que eles vejam a mudança em seu comportamento. “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.” Mateus 5:16
  • Como um jovem cristão que conheceu a doutrina reformada deve se portar em relação aos pais, que são pentecostais? Escuto muitos casos como este, de jovens que seguem perseguições de seus pais pentecostais pelo fato de desejarem ir a uma Igreja que apresenta a Doutrina Reformada. E a atitude deste jovem qual deve ser? Diálogo aberto e respeitoso. Converse com seus pais, convide-os a ir até à igreja conhecer o ambiente que você tem frequentado. Ore por eles, respeite-os. Quando os atritos por conta da incompreensão acontecerem, não revide com agressividade. Honre teus pais evitando a discussão com entendimento que a discussão em si mesma, se for descontrolada, é improdutiva.

Como cristãos, precisamos nos lembrar que a oração nos ajuda a enfrentar estes momentos, com discernimento e sabedoria, para que sejam resolvidos de forma que glorifiquem o Nome do Senhor.

Meu desejo e oração é que você, jovem, que lê esse artigo, seja paciente e compassivo com seus pais, para que sua conduta honre a vida deles e Glorifique o Nome do Senhor.

Que Deus os abençoe!

Pr. Marco Cicco

  1. 27 de março de 2017

    Excelente Texto, me ajudou muito, e eu queria uma resposta bíblica e hoje encontrei…
    Mais tenho uma pergunta, se meus pais me proíbirem de Pregar o Evangelho, e na mesma, eu continuar a pregar, seria desobediência

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!