Decepcionados Com Deus

Mas não somente isso, como também nos gloriamos nas tribulações, porque aprendemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança produz um caráter aprovado; e o caráter aprovado produz esperança. E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que Ele mesmo nos outorgou. (Rm 5.3-5)

Deus é injusto? É silencioso? É um Deus oculto aos que servem-Lhe? Estas perguntas são feitas com honestidade no interior de muitos servos sinceros do Senhor, mas dificilmente são externadas, até mesmo em orações.

Existe um grande abismo entre o que esperamos da fé cristã e o que de fato ela é. A partir de um verdadeiro universo de livros, sermões e testemunhos, programas de rádio e telefones todos prometendo vitória e sucesso, eles ensinam a esperar que Deus atue de forma impressionante em suas vidas. Mas se não enxergam tais intervenções, sentem-se desapontadas, traídas e frequentemente culpadas. Essa desilusão depende, em grande parte, daquilo que, em primeiro lugar, aprendemos e esperamos de Deus. E, claro que essa expectativa nem sempre é o que a bíblia ensina.

Quais são os motivos que nos levam a nos “decepcionarmos com o Deus”?

Um deles é porque confundimos as nossas escolhas com as escolhas do Senhor. Quando pensamos assim, perdemos a convicção na palavra de Deus de que “todos os caminhos do Senhor são amor e fidelidade para com os que cumprem os preceitos da sua aliança” (Salmos 25:10) porque, na maioria das vezes, Deus não agirá segundo nossas escolhas e vontades.

A palavra decepção significa “um sentimento de insatisfação quando as esperanças, desejos e expectativas de alguém não acontecem.”

Quando criamos uma falsa visão do Deus da bíblia e começamos a seguir um Deus criado pelo ser humano, Deus deixa de satisfazer ou responder as nossas esperanças ou de agir de acordo com as nossas expectativas e desejos e a decepção é inevitável. Quando Deus não age da maneira que achamos que Ele deveria, ficamos desiludidos e insatisfeitos com o Seu desempenho. Isso pode levar a uma vacilante fé em Deus, especialmente em Sua soberania e Sua bondade.

Vemos essa decepção em relação a Deus na história de Naamã em 2 Reis 5, quando recebe a orientação de Eliseu através de seu servo.

Mas Naamã ficou muito zangado e disse: — Eu pensava que pelo menos o profeta ia sair e falar comigo e que oraria ao Senhor, seu Deus, e que passaria a mão sobre o lugar doente e me curaria! 2 Reis 5:11

Naamã se decepciona com Deus pois tinha criado uma expectativa de como Ele agiria. Dentro de nossas igrejas a milhares de pessoas. Desapontados com o Senhor por que são iludidas com um falso Evangelho triunfalista que cria falsas esperanças em um povo carente. Temos que entender que Deus não age quando achamos que deva agir, não é por ser incapaz de fazê-lo. Pelo contrário, Ele simplesmente escolhe não fazê-lo. Embora isso pareça um ato arbitrário ou caprichoso da Sua parte, o oposto é verdadeiro. Deus escolhe agir ou não agir segundo a Sua vontade perfeita e santa a fim de concretizar os Seus justos propósitos. Nenhum acontecimento cai fora do plano de Deus.

Nós nos decepcionamos com o Senhor porque esperamos nos homens, com expectativas por vezes irrealizáveis sobre eles. Salmos 25:3 e Jeremias 17:5. Nós nos decepcionamos com o Senhor porque o servimos pela recompensa e nos achamos merecedores de receber sempre mais do que Ele nos deu.

Nós acabamos nos decepcionamos porque queremos obter todas as respostas as nossas orações. Facilmente nos esquecemos que “as coisas encobertas pertencem ao Senhor, o nosso Deus, mas as reveladas pertencem a nós e aos nossos filhos para sempre, para que sigamos todas as palavras desta lei” (Deuteronômio 29.29).

Nos decepcionamos porque acabamos nos iludindo de que a vida cristã é um passaporte para uma vida sem provações e acabamos escondendo de Cristo nosso verdadeiro sentimento, porque pensamos que Jesus tem problemas de auto-estima e precisa ser bajulado por por nós.

Acredito que mais de 80% das nossas orações falamos do que o Senhor é “Deus é amor”, “O Senhor é bom”, “Deus é santo”, “Maravilhoso”, “Socorro bem presente” etc.

Deus realmente é tudo isso, mas ouso a dizer que na maioria das vezes não é isso que realmente queremos dizer a Ele, muitas vezes queremos orar com palavras bonitas enquanto o coração em pedaços.

Jesus disse: Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com os seus lábios, mas o seu coração está longe de mim. Mateus 15:8

Escondemos a nossa decepção de Deus porque nos esquecemos que não somos apenas servos de Deus, Jesus nos fez amigos (João 15:15) e qual é o amigo que esconde do outro seu verdadeiro sentimento? Jesus é nosso melhor amigo, e nEle podemos confiar e falar, não somente de forma religiosa, mas com sinceridade porque Ele já conhece nosso coração e está disposto a ouvir.

Todo o tempo em que guardamos a “decepção pelo Senhor” dentro do nosso coração, vemos com um peso, mas quando falamos ao SENHOR como realmente estamos e entregamos nossos sentimentos nas mãos de Deus, Ele nos faz compreender que entendemos como injustiça, descaso, para Ele era proteção.

Deus busca servos verdadeiros, que os ame de todo o coração, Deus é nosso amigo, nosso pai, não seja falso com Ele, fale a verdade que está no seu coração, por mais estranho que seja.

Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele o fará. Salmos 37:5

No amor de Cristo,

Wesley Souza.

  1. 11 de março de 2017

    Esta página tem me edificado muito com as publicações. Que Deus continue abençoando a todos.

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!