Características da Falsa Espiritualidade

“Vinde, e tornemos ao SENHOR, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida. Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele. Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra. Que te farei, ó Efraim? Que te farei, ó Judá? Porque a vossa benignidade é como a nuvem da manhã e como o orvalho da madrugada, que cedo passa. Por isso os abati pelos profetas; pelas palavras da minha boca os matei; e os teus juízos sairão como a luz, Porque eu quero a misericórdia, e não o sacrifício; e o conhecimento de Deus, mais do que os holocaustos. Mas eles transgrediram a aliança, como Adão; eles se portaram aleivosamente contra mim. Gileade é a cidade dos que praticam iniquidade, manchada de sangue. Como as hordas de salteadores que esperam alguns, assim é a companhia dos sacerdotes que matam no caminho num mesmo consenso; sim, eles cometem abominações. Vejo uma coisa horrenda na casa de Israel, ali está a prostituição de Efraim; Israel está contaminado. Também para ti, ó Judá, está assinada uma sega, quando eu trouxer o cativeiro do meu povo.” (Oséias 6:1-11)

Vivemos dias de péssimo testemunho na igreja contemporânea. Dias em que o “ateísmo cristão” (pessoas que dizem que creem em Deus, mas que vivem como se Ele não existisse) está presente no ambiente cristão como nunca antes visto.

Porém, quando lemos a história bíblica nos livros dos profetas, percebemos que há muito tempo esse tipo de pessoa que vive uma vida espiritual superficial se fez presente em toda a história de Israel, bem como na Igreja de Cristo e até em nossos dias.

Lendo o livro do Profeta Oséias, no capítulo 6, podemos extrair lições preciosas deste discurso, que foi direcionado ao povo de Israel e que vivia um período de declínio espiritual e infidelidade. Oséias também confronta diretamente os sacerdotes e o povo, que viviam uma vida de aparência religiosa, mas que, na essência, estavam distantes do Senhor.

Em suma, podemos analisar no texto de Oséias as características de uma falsa espiritualidade.

A seguir, proponho considerações que nos serão úteis para identificar pontos dessa superficialidade cristã.

1. Vida de Incoerência

“Vinde, e tornemos ao SENHOR, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida. Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele. Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.” Oséias 6:1-3.

Nestes versículos vemos nitidamente que Oséias chama ao povo ao arrependimento. Mas não apenas ao ato do arrependimento, mas sim para uma vida que prosseguir em conhecer ao Senhor. Em outras Palavras, arrepender, e corrigir o caminho que é conhecer ao Senhor.

Não adianta dizer que se arrepende, se este arrependimento não for acompanhado de mudança de comportamento, atitude, direcionamento, sentido e direção.

A falsa espiritualidade cega de forma tão intensa, que muitos realmente pensam que é possível enganar a Deus com meros discursos. Porém, diante de Deus, o discurso divergente de conduta está visível, e diante dEle, nada passa desapercebido.

Espiritualidade genuína é aquela que está muito além das “palavras de efeito”, é aquela que se manifesta nas atitudes e na transformação interior e que tem como referência os valores do Evangelho de Cristo.

2. Inconsistência

“Que te farei, ó Efraim? Que te farei, ó Judá? Porque a vossa benignidade é como a nuvem da manhã e como o orvalho da madrugada, que cedo passa. Por isso os abati pelos profetas; pelas palavras da minha boca os matei; e os teus juízos sairão como a luz,” Oséias 6:4, 5.

A falta de maturidade espiritual inevitavelmente conduz a uma vida carregada de inconsistência. E isso é mais comum do que se pensa. No versículo 4 está absurdamente claro que a oscilação da fidelidade é um erro terrível, e tão terrível ao ponto de que por conta dessa falta de espiritualidade sólida, o povo seria duramente confrontado em seus pecados.

E assim é hoje: cristãos momentâneos. Quantas vezes saímos de um culto/celebração com o coração carregado de uma alegria superficial, mas ao nos depararmos com os dilemas da vida, esquecemos completamente do que ouvimos. Se é que de fato guardamos algo.

Colocamos um esforço inicial em algo projeto, mas esse “ânimo” só permanece por alguns dias, às vezes nem por uma semana. Compromisso com Deus se torna subjetivo, quase que um círculo vicioso de recomeço e abandono do que deveria ser prioridade.

Falsa espiritualidade não tem perseverança. E perseverar no Caminho de Cristo é VITAL para uma espiritualidade genuína.

3. Cristãos Impiedosos

“Mas eles transgrediram a aliança, como Adão; eles se portaram aleivosamente contra mim. Gileade é a cidade dos que praticam iniquidade, manchada de sangue. Como as hordas de salteadores que esperam alguns, assim é a companhia dos sacerdotes que matam no caminho num mesmo consenso; sim, eles cometem abominações. Vejo uma coisa horrenda na casa de Israel, ali está a prostituição de Efraim; Israel está contaminado.” Oséias 6:7-10

O problema do caminho da falsa espiritualidade é o resultado que vemos nos versículos 7 a 10. Obras infrutuosas das trevas, apostasia, falsa aparência da piedade, religiosidade morta, abominações.

Obras infrutuosas que estão em total desacordo com o que o Apóstolo Paulo ensina em sua cartas aos Gálatas:

“Já estou crucificado com Cristo; e vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” Gálatas 2:20

A conversão genuína está além da teoria. Trata-se de uma vida de fé, que é vivida na carne (cotidiano, na prática) com entendimento que Cristo nos amou e se entregou por nós. E primordialmente, que o nosso modo de viver seja coerente com esta consciência.

Portanto, sabemos que superficialidade cristã está presente na história de Israel e também atravessou a história da humanidade até os nossos dias. Porém, que possamos discernir e lutar contra esta conduta mentirosa e nos esforçarmos, mediante a graça de Deus, de viver de forma coerente com o que aprendemos do Evangelho de Cristo.

Que possamos ter coragem de abandonar as práticas da falsa espiritualidade, e que tenhamos a consciência de que precisamos viver o Evangelho Genuíno em nossa vida, com obras coerentes ao Reino, e entendimento que vivemos diante de Cristo.

Que o Senhor nos ajude.

Marco Cicco

  1. 15 de janeiro de 2017

    gostaria de receber outras pregaçoes como esta. grata irma kelly

    • 15 de janeiro de 2017

      Paz irmã Kelly, seu email foi adicionado na nossa lista de newsletter. A sra irá receber um email, precisa clicar no link para confirmar. Abraço.

  2. 11 de abril de 2017

    Graça e paz. Boa noite,gostaria de receber em meu e-mail mais pregações.Grata.

    • 12 de abril de 2017

      Bon dia Elisabete. Cadastrei seu e-email em nosso newsletter. Chegará um email, o qual você precisará confirmar o recebimento do mesmo.

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!