A Morte De Cristo

Por que o Filho de Deus tomou a nossa natureza e veio aqui morrer? Aqui está a resposta: Nosso Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, veio a este mundo, assumindo nossa natureza, “por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos.” (Hb 2:9).

Ele veio aqui como um homem, como um de nós, assumindo um verdadeiro corpo humano e uma verdadeira alma humana. Todavia, Nele não havia o pecado, ele era puro e santo.

Na encarnação Cristo tornou-se como um de nós e manteve uma sujeição voluntária ao Pai, como seu Servo. Ele tornou-se menor que os anjos, por um tempo, sendo feito à semelhança de carne pecaminosa. E tornou-se o menor dos homens, o menor no reino dos céus, para salvar o seu povo dos seus pecados. Aquele que é maior do que todos, tornou-se o menor de todos, para nos dar a sua vida! Por quê?

“Para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos.”

Ele veio aqui para salvar. Para ser nosso Salvador. O Filho de Deus devia ser nosso substituto e nossa oferta pelo pecado. Ele tinha que morrer. Mas ele não podia morrer, a não ser que se tornasse um homem. Por isso se tornou homem para que, pela graça de Deus, pudesse morrer sob a ira de Deus por homens eleitos! A justiça tinha de ser satisfeita.

Assim, lemos no versículo 10: “Porque convinha que aquele, para quem são todas as coisas, e mediante quem tudo existe, trazendo muitos filhos à glória, consagrasse pelas aflições o príncipe da salvação deles.” Esses filhos são aqueles pecadores eleitos e predestinados para a filiação, redimidos por Cristo, chamados pelo seu Espírito e herdeiros da glória celestial. Há muitos deles em cada nação (Rm 8:28-31; Ap 5:9).

O Filho de Deus é o príncipe da nossa salvação. Ele é chamado o príncipe de nossa salvação porque ele é o seu autor; Ele é nosso Rei e Senhor; Ele é o nosso guia e líder.

Por causa do propósito e do amor do Pai (Jo 3:16) e por causa da justiça do Pai, o Salvador teve que sofrer tudo o que a lei e a justiça de Deus exigia de nós (Rm 3:19-26).

A única maneira que Cristo podia redimir-nos de acordo com os atributos de Deus era por meio do sofrimento (Lc 24:26-46). Assim, ele “morreu pelos nossos pecados de acordo com as Escrituras”. Ele nos fez seus filhos.

Em Cristo e com Cristo todos os crentes têm um Pai, somos uma família, somos um só corpo e somos beneficiários da aliança. Embora Ele seja Deus sobre todos, Ele não se envergonha de nos chamar de irmãos. Imagine isso! Por que Ele não se envergonha de nos chamar como irmãos? Porque todos aqueles a quem Cristo veio salvar, todos para quem Ele provou a morte pela graça de Deus, todos os seus irmãos escolhidos, são o dom de Deus para Ele (Hb 2:12-13). No versículo 12, em específico, o apóstolo está citando o Salmo 22:22. Sem dúvida trata-se de um Salmo sobre Cristo, e assim ele prova que os pecadores escolhidos são verdadeiramente irmãos de Cristo (Is 8:17,18).

A morte de Cristo nos fez filhos de Deus e irmãos de Jesus.

Somente a Deus Glória

Fábio Falcão

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!