Ceia do Senhor

A Ceia do Senhor é um tema que, ainda em nossos dias, gera algumas dúvidas quanto a sua importância, representação, vigência e sobre a consciência que devemos ter quando  a celebramos. E o objetivo deste pequeno artigo é justamente colocar em evidência todo este contexto relacionado a Ceia do Senhor.

Enquanto comiam, Jesus pegou um pão, deu graças, quebrou-o, e o deu aos seus discípulos, recomendando: “Tomai, comei; isto é o meu corpo”. Em seguida tomou um cálice, deu graças e o entregou aos seus discípulos, proclamando: “Bebei dele todos vós. Pois isto é o meu sangue da aliança, derramado em benefício de muitos, para remissão de pecados.” Mateus 26: 26-28

Lendo o panorama do Novo Testamento, é possível compreender que existem duas ordenanças deixadas por Cristo para a Igreja, a saber, O batismo e a Ceia do Senhor. O que é uma característica diferencial da Ceia é que ela deve ser celebrada/realizada até a volta de Cristo.

Um ponto a se destacar é que há uma pequena confusão sobre qual periodicidade que a Ceia do Senhor deve ser celebrada e de fato, a Bíblia não menciona de quanto em quanto tempo a mesma deve acontecer. Muitas igrejas adotaram com parte da liturgia a ceia mensalmente, embora saiba de outras que fazem semestralmente e outras até semanalmente. Para fins de organização e ordem, não há problemas em uma igreja local definir um tempo específico para a celebração em conjunto.

Porém, a mesma pode ser realizada sempre que houver o ajuntamento de irmãos, seja como celebração ou comunhão. Em memória dEle podemos nos reunir, e celebrar a Ceia do Senhor. A Ceia do Senhor é uma celebração vigente que os cristãos devem realizar em memória de Cristo. Com entendimento que a mesma representa o sangue e o corpo de Cristo , que foi entregue em nosso favor.

Cabe destacar, que há muitas vertentes teológicas que com diversas leituras acerca do significado dos elementos da Ceia do Senhor, no caso, o Pão e o Vinho. Porém, não é nossa intenção realizar essa análise aqui, nem expor as diversas simbologias que existem.

Nosso foco se firmará no que entendemos que merece nossa atenção, neste artigo, acerca da Ceia do Senhor, e é o que Paulo escreve em 1 Coríntios 11: 23-32:

“Pois eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão e, logo após haver dado graças, o partiu e disse: “Isto é o meu corpo que é dado por vós. Fazei isto em memória de mim. Do mesmo modo, depois de comer, Ele tomou o cálice e declarou: “Este cálice é a nova aliança no meu sangue. Fazei isto todas as vezes que o beberdes, em memória de mim”. Portanto, todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes deste cálice proclamais a morte do Senhor, até que Ele venha. Por esse motivo, quem comer do pão ou beber do cálice do Senhor indignamente será culpado de pecar contra o corpo e o sangue do Senhor. Examine, pois, cada um a si próprio, e dessa maneira coma do pão e beba do cálice. Pois quem come e bebe sem ter consciência do corpo do Senhor, come e bebe para sua própria condenação. Por essa razão, há entre vós muitos fracos e doentes e vários que já dormem.Contudo, se nós tivéssemos a cautela de julgar a nós mesmos, não seríamos condenados. No entanto, quando somos julgados pelo Senhor, estamos sendo corrigidos a fim de que não sejamos condenados juntamente com o mundo.

Paulo, nos versículos supracitados, deixa claro a ordenança de Cristo e reforça o que foi dito antes, sobre a importância de celebrarmos continuamente em memória de Cristo. Porém, Paulo ressalta a importância de se examinar a si mesmo no momento de celebração da Ceia do Senhor. Examinar a si mesmo por conta de premissas básicas que devemos ter no que diz respeito a Ceia do Senhor.

Examinar a nossa conduta, nossos pecados não confessados, examinar se verdadeiramente nos arrependemos dos tais. Examinar a nossa consciência para que possamos discernir o Corpo de Cristo, que é a Igreja, de forma correta e honesta diante de Deus. O convite a reflexão é feito. Que possamos olhar o nosso passado com a consciência de quem éramos e do que fomos resgatados por Cristo. Bem como é importante discernir o presente, e nos esforçamos, Segundo a Vontade de Deus, em perseverar no Caminho de Cristo.

Portanto, que possamos entender que a Ceia do Senhor é uma momento de COMUNHÃO, onde partilhamos a vida com os irmãos, sabendo que uns com outros formamos o corpo de Cristo. “Não é verdade que o cálice da bênção que abençoamos é a comunhão do sangue de Cristo? Acaso o pão que partimos não é nossa participação no Corpo de Cristo? Como há somente um pão, nós, que somos muitos, somos um só corpo, pois todos participamos de um único pão.” (1 Coríntios 10:16 e 17).

E que também é um tempo de CELEBRAÇÃO, onde nos alegramos pela consciência do que Ele fez, e de que fazemos a celebração em memória dEle. Celebremos porque sabemos que o sangue que foi derramado pela remissão de muitos.

Soli Deo Glória.

 

Marco Aurélio Cicco

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!