3 Maneiras Como o Ministério Pode Te Tornar Orgulhoso (1)

Eu tenho servido como ministro ordenado por 42 anos. Muitos dos que começaram comigo não chegaram à linha final. O percentual é doloroso. Uma das razões principais de muitos não terem durado, eu penso, é porque ninguém os alertou sobre as maneiras como o ministério pode te tentar com orgulho.

É nessa área que as palavras de Paulo em 2 Coríntios 12.7-10 têm sido tão úteis para mim como pastor. Paulo – o próprio Apóstolo treinado em teologia e para o ministério pelo próprio Cristo ressurrecto – nos alerta para o fato de que o treinamento teológico e a vida no ministério podem nos levar ao orgulho se falharmos em cooperar com a intervenção graciosa de Cristo.

Aqui estão as três maneiras como o ministério pode te tornar orgulhoso sem a intervenção de Deus. Pastores, sintam-se alertados.

1. CONHECIMENTO TEOLÓGICO PODE TE TORNAR ESNOBE

Primeiro, a soberba do conhecimento teológico. Alguns em Corinto tinham o conhecimento teológico correto sobre as carnes oferecidas aos ídolos, mas a quê este conhecimento os levou? A se tornarem esnobes. Ele está dizendo algo muito simples aqui. Conhecer a verdade carrega uma tendência de se inflar. Você se torna focado em si mesmo, orgulhoso de seu conhecimento e percepção. O amor, por outro lado, leva ao auto-esvaziamento.

Martyn Lloyd-Jones colocou desta forma:

Sempre que você permite que seu relacionamento com a verdade se torne puramente teórico e acadêmico, você estará caindo na teia de Satanás… No momento em que, em seu estudo, você para de se colocar sob o poder da verdade, você se tornou uma vítima do Diabo. Se você pode estudar a Bíblia sem ser examinado, vasculhado e humilhado, sem ser levado à adoração a Deus, ou movido com tristeza pelo que Deus suportou por você, ou sem ficar maravilhado com a beleza e sabedoria do que Cristo fez por você, se você não sente tanto desejo de cantar quando você está estudando a Bíblia sozinho quanto quando você está no púlpito, você está em perigo. E você sempre deveria sentir algo neste poder.

Lloyd-Jones prossegue identificando as marcas de alguém que aprendeu a dominar a Bíblia como um conjunto de informações, não como poder extraordinário. Uma marca é se tornar um rabugento espiritual. Um rabugento espiritual é alguém que está sempre reclamando e discutindo detalhes de distinções teológicas, sempre denunciando com discussõess traduções da Bíblia ou denunciando pessoas por estarem do lado errado da última controvérsia teológica. Um rabugento espiritual trata a Palavra de Deus como algo que você usa, não como algo que usa você. Ele é inflado por seu orgulho intelectual e por sua tribo teológica.

2. O MINISTÉRIO PODE SE TORNAR UMA IDENTIDADE FALSA.

O segundo engano vem de uma falsa identidade criada no ministério. Você tenderá a se identificar tão pessoalmente com seu ministério que o sucesso dele (ou a falta de sucesso) se tornará o SEU sucesso (ou falta de sucesso). Uma vez que você comece a se identificar desta forma, você criará uma falsa identidade baseada em sua performance como ministro.

Este tipo de falsa identidade pode se manifestar de quatro formas:

I. Sucesso

Você edifica uma falsa identidade baseada em circunstâncias ou performance. Você vai à igreja todos os Domingos. Você diz que é um Cristão. Você tem três casas. Você parece ser bem sucedido, e esta é a sua identidade. Mas agora parece que você pode perder a sua carreira ou a sua riqueza. Então você pensa, “eu não posso deixar que isso aconteça” E mesmo sendo um cristão você engana, você traí, você usa pessoas. Você diminui pessoas e destrói a carreira delas para se manter onde você está.

Todo cristão luta contra uma falsa identidade. Todo não-Cristão possui uma falsa identidade. Nós que estamos no ministério em tempo integral acabamos lidando com o ferrão do sucesso de uma forma ou de outra. Quando as pessoas vêm à igreja, você sentirá que elas estão te afirmando, quando as pessoas deixam a igreja, você irá sentir como se fosse um ataque pessoal.

II. Críticas

Se seu ministério se tornar a sua falsa identidade, você não saberá lidar com críticas. As críticas virão e serão tão traumáticas porque questionarão a sua qualidade como pastor. Críticos dirão: “Sabe, suas pregações não são muito boas… queria que meu pregador fosse melhor.” Você as receberá como um ataque pessoal. As críticas te devastarão ou você simplesmente irá ignorá-las e não crescerá com elas.

III. Covardice

Se o seu ministério se tornar a sua falsa identidade, você sucumbirá à covardice. Existem dois tipos de covardice. Existe a verdadeira covardice – estar com medo de lidar com as situações ou de ofender as pessoas que dão a maior quantidade de dinheiro à igreja ou de pregar uma mensagem que fará com que os jovens deixem a igreja. Esta é a covardice verdadeira.

Mas existe um outro tipo de covardice que eu chamo de covardice disfarçada. Esta é a covardice de ser duro demais, bélico demais e então dizer: “Vejam, eu sou um valente pela verdade.”. Isto também vem de um coração que busca sua identidade no ministério. Esta pessoa não se define por quem ela é em Cristo, mas sim no ministério.

IV. Comparações

Um último sinal de que você caiu em uma falsa identidade é que você não consegue evitar as comparações. Você fica com inveja quando outros, que você pensa não trabalharem tão duro quanto você ou não serem tão teologicamente astutos quanto você, estão sendo bem-sucedidos.

3. O MINISTÉRIO PODE TE FAZER FOCAR MAIS NAS APARÊNCIAS.

Quando você fala às pessoas sobre Deus, você tem duas opções: comungar com Deus ou agir como se você comungasse com Deus. Visto que o trabalho do ministro é mostrar quão grande Deus é e quão maravilhosa a vida cristã pode ser, a vida dele precisa refletir isso. Então, ou você estará perto Deus ao ministrar ou você terá que agir como se estivesse perto de Deus. Ou você realmente aprende a se relacionar com Deus ou você aprende a fingir que se relaciona. Você fala como se fosse bem mais próximo de Deus do que você de fato é. E não apenas as pessoas começam a pensar que você é próximo de Deus, você também começa a se convencer disto. Isto pode ser devastador para o seu coração.

Na última noite dos discípulos com Jesus, ele disse que um deles o trairia (João 13.21). É interessante considerar como os discípulos responderam. Todos eles olharam para o lado e perguntaram quem seria o traidor. De fato, mesmo depois de Jesus dizer que seria aquele a quem Ele daria o pão, eles ainda não entenderam. Você sabe por que? Porque Judas não aparentava ser, em nada, diferente deles. Por fora, ele era um ministro eficaz, mas por dentro, não havia nada. Ele cuidou de sua vida externa mais do que de sua vida interna. Jonathan Edwards, em seu ótimo livro “Caridade e seus frutos”, fala sobre o fato de que Deus usou Judas mesmo sem que ele fosse salvo. Não queremos que este seja o nosso legado no ministério.

Mas é aqui que a hipocrisia começa. O ministério fará de você um cristão muito melhor ou um cristão muito pior do que você seria se não estivesse no ministério. O ministério te fará ser um hipócrita farisaico ou fará de você uma pessoa mais mansa, amorosa e cuidadosa porque te levará ao trono da graça do Senhor para clamar por ajuda em suas fraquezas. Ou o ministério te levará a Ele ou te levará para longe dEle. Como Judas, escolha você de qual vida você cuidará, a externa ou a interna.

SUPERE SEU ORGULHO

Então, como você supera tudo isso?

Lembre-se da situação de Paulo em 2 Coríntios. Ele estava enfrentando falsos apóstolos e mestres que estavam dizendo que ele não tinha as credenciais para ser um verdadeiro apóstolo. Paulo contradiz dizendo que ele tem sim as credenciais – mas não o tipo de credenciais que esperaríamos. Ele inverte todas as categorias. Ao invés de se orgulhar em seu conhecimento teológico, vasto sucesso ministerial, ou vida exterior que seria padrão de perfeição, ele se orgulha em seus insultos, dificuldades, em ter sido expulso de cidades. É assim que ele argumenta que Deus está a seu favor. Ele nos diz que devemos olhar para todas as coisas que Deus fez a fim de levá-lo a ficar de joelhos.

Pastor, considere todas as coisas que Deus tem feito para quebrar seu orgulho. Veja todas as formas pelas quais ele tem te levado a perceber sua pequenez para que você possa se agarrar a ele com mais força. Que todos os seus fracassos, desapontamentos e fraquezas te levem ao amor de Deus como um martelo leva um prego ao coração da madeira. Você só se tornará um verdadeiro ministro quando você aceitar e abraçar seus fracassos, desapontamentos e fraquezas e assim chegará à linha final.

Traduzido por Filipe Niel para o Ministério ReVive
Fonte: The Gospel Coalition

  1. 13 de agosto de 2017

    Obrigado

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2016 Evangelho Inegociável | porAgente Host.
Topo
Siga-nos:             
error: Content is protected !!